terça-feira, 9 de junho de 2015

Iluminuras [nº2 – Junho de 2015]



La toilet de Vénus (Óleo sobre tela, 1746) – François Boucher



Comumente, diz-se que uma imagem vale por mil palavras, como se isso já nos desvendasse o mundo, a realidade, sem margem de erro ou engano. Mas, a bem da verdade, as imagens nos cegam, se excessivas. Num mundo em que os meios de comunicação ampliam, enormemente, o poder de acesso a diferentes estímulos, como distinguir a imagem que nos cega daquela que, artística e criativa, pode nos abrir os horizontes?

Na medida certa (qual seria esta?), as imagens nos são portas, possibilidades que nos podem ampliar o que somos (conhecermo-nos) e o que consideramos ser (estar sendo) o mundo. Porém, certo é que, como dito no início, hão de nos cegar, se excessivas forem, tal ao que vemos nesta atualidade de tantas idéias e informações. São tantos mundos (tantas as imagens) e, diante disso, nós, seres tão frágeis, apequenados em nós mesmos, assustados com o volume de tudo, cegamos. E, assim, é que, mesmo à nossa revelia, vamos a praticar o esquecimento da beleza, dos detalhes e de tudo o mais que nos inspire ou nos seja essência, boa essência, algo que, no fundo de nós, nos diz haver um sentido, um sentido para além de todas as cegueiras.

Iluminuras [um olhar comovido], espaço de Kaya [revista de atitudes literárias], é um lugar/janela, uma estação tranquila, paragem de onde podemos ver e apreciar o trabalho daqueles que, dedicados a criar imagens (significados, sentidos, sentimentos - ARTE), nos transmitem, nos presenteiam com suas criações, para que possamos recuperar o nosso olhar e, assim, possamos escapar da cegueira geral, já que aqui, momento a se viver, a ideia é contemplar e não consumir.

Nesta segunda edição, trazemos os artistas Carlus Campos (Brasil), Lena Gal (Portugal) e Edite Melo (Portugal), cada um com suas respectivas belezas, seus olhares, enfim, a sensível arte que produzem.

Olhemos, pois!

                                                                                                                                                                 Os Editores

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com sentimento sincero e responsabilidade, fique à vontade para comentar.